TTverde


Os coquetéis de James Bond

'Tenho um prazer ridículo com o que como e bebo.'

Está dentro Casino Royale que somos apresentados ao estilo refinado de beber de James Bond. Este é um homem que sabe o que quer, um homem que tem o hábito de se preocupar muito com detalhes.

Poucas histórias dignas de serem lidas foram escritas que não continham algum tipo de bebida e os romances de Ian Fleming são lidos como uma longa palestra sobre o manejo adequado do hábito de beber. Qualquer avaliação de Bond indicaria um sério vício em álcool e substâncias – seu consumo médio diário de álcool em um ponto está na região de meia garrafa de destilado. Não é bem o que você quer do seu agente secreto, mas não se preocupe – como Bond reflete em Thunderball : ‘Eu não posso fazer meu trabalho com suco de cenoura… a vida é muito curta’.

Embora mais famoso por seus martinis de vodka, enquanto está de serviço, Bond consome uma grande variedade de bebidas, batidas ou mexidas. De champanhe a cerveja, ele tem uma propensão a beber quase tudo e qualquer coisa. No entanto, sempre o cavalheiro, Bond sempre bebe de acordo com a ocasião e o local.

AMERICANO

CASINO ROYALE, DA RÚSSIA COM AMOR, VISTA PARA MATAR

O Americano tem a distinção de ser o primeiro drinque que James Bond pede. Bond, que estipula o uso de Perrier, considera-o uma bebida apropriada para jantar em um café ao ar livre.

1 medida Campari, 1 medida de vermute doce, Água com gás

NEGRONI

SOMENTE PARA SEUS OLHOS

Enquanto espera no Excelsior Bar em Roma, Bond pede um aperitivo, o Negroni, especificando o gin de Gordon. Quando em Roma…

1 medida de gim de Gordon, 1 medida Campari, 1 medida de vermute italiano

ANTIQUADO

THUNDERBALL, DIAMANTES SÃO PARA SEMPRE, VIVA E DEIXE MORRER

Um coquetel clássico esquecido nas saídas cinematográficas de Bond. Da mesma forma, seu desejo por um uísque com refrigerante se perdeu nas produções cinematográficas, mas é a bebida que ele toma com mais frequência nos livros.

3 gotas de bitter Angostura, 2 medidas de uísque de centeio, 1 cubo de açúcar, Água com gás

RUM COLLINS

TROVÃO

  tomcol

Uma variação do Tom Collins, Bond é servido por seu anfitrião, Emilio Largo. Refrescante, é o coquetel ideal da tarde nas Bahamas. A bebida deve seu apelido a uma notória farsa que circulou em Nova York em 1874.

2 medidas de rum claro, 1 colher de chá de açúcar superfino, 1/2 medida de suco de limão, Água com gás

SAZERAC

VIVA E DEIXE MORRER

Quando Bond esquece momentaneamente a tradição de beber 'localmente', o agente da CIA Felix Leiter diz a Bond para desfrutar da bebida oficial do The Big Easy: 'Onde está seu senso de aventura? Esta é Nova Orleans. Relaxar!'

2 1/2 medidas de uísque de centeio, 2 gotas de bitters de Peychaud, 1 dose de bitter Angostura, 1 cubo de açúcar, Absinto, Casca de limão

FERRO

TROVÃO, DIAMANTES SÃO PARA SEMPRE

Durante o auge de sua popularidade, o clássico stinger foi considerado uma bebida ideal para uma noite em Nova York. Bond tem um no 21 Club em NY.

2 1/4 medidas de conhaque, 3/4 medida de creme de menta branco

HORTELÃ JULEP

DEDO DE OURO

Bond, um viajante experiente, come e bebe “localmente”. Na coudelaria de Goldfinger, ele aceita a oferta de um Mint Julep, a bebida tradicional e satisfatória do Kentucky Derby.

Folhas de menta, 3 medidas de bourbon, 2 colheres de chá de água, 1 colher de chá de açúcar

Véspera

CASINO ROYALE

  véspera

— Esta bebida é minha própria invenção. Vou patenteá-lo quando puder pensar em um bom nome.'

3 medidas de gim de Gordon, 1 medida de vodca, 1/2 medida Kina Lillet, 1 fatia grande de casca de limão, Batido, não mexido

MOJITO

MORRA OUTRO DIA

Um dos poucos coquetéis não originários dos romances de Fleming, a afinidade de Bond pela hortelã confusa foi uma escolha adequada para o cenário cubano.

Folhas de menta, 2 medidas de rum branco, 2 colheres de açúcar, 1/2 medida de suco de limão, Água com gás

VELUDO PRETO

DIAMANTES SÃO PARA SEMPRE

Depois de ser informado por M em Londres, Bond para no Scott's para 'caranguejo vestido e uma caneca de veludo preto'. A escolha de bebida de Scaramanga, foi servido pela primeira vez no Brooks em 1861, para lamentar a morte do príncipe Albert.

cerveja Guinness, Champanhe bruto